Presidente da Brewers Association está preocupado com a baixa qualidade das novas cervejarias americanas

Na última quarta-feira, o presidente da Brewers Association, Paul Gatza, deixou os participantes da Craft Brewers Conference, realizada em Denver, Colorado, em polvorosa. Em frente a um auditório formado por vários produtores de cerveja, Gatza afirmou que sete a oito entre dez cervejarias americanas precisam melhorar seus produtos. De acordo com o The Denver Post, ele contou uma história de uma visita que fez a um festival cervejeiro e ficou apavorado com a baixa qualidade dos produtos das cervejarias participantes, na sua maioria, fundadas há menos de 2 anos. Segundo ele, os cervejeiros não pensam assim, mas estão errados. “A verdade é que elas não são boas cervejas, e precisamos melhorar isso”, disse Gatza.

paul-gatza

A preocupação do executivo da BA se dá por causa de uma visão macro do emergente mercado de cervejas artesanais dos Estados Unidos. De acordo com sua declaração, com a explosão de aberturas de microcervejarias no país, muitos cervejeiros iniciantes e sem experiência estão criando produtos inferiores e não estão investindo recursos suficientes no controle de qualidade das cervejas. “Com tantas aberturas de cervejarias, existe o potencial de que as coisas comecem a se degradar no que diz respeito à qualidade, e nós não queremos isso. Se um consumidor tem uma experiência ruim, ele irá voltar para as empresas que conhecem e confiam, no caso, as grandes cervejarias”, diz Gatza. O presidente da BA afirma que o conselho da entidade está pensando em criar barreiras para as novas cervejarias entrarem na associação. “Este não é apenas um clube onde você pode apenas entrar e colher os frutos de todos. Algumas das novas cervejarias vão ter muito o que melhorar”.

Apesar das manifestações contrárias, algumas cervejarias concordaram com as declarações de Gatza. Mitch Steele, cervejeiro da Stone Brewing, aconselhou os novatos no mercado: “Se você está abrindo uma cervejaria, pelo amor de Deus, contrate alguém que saiba o que está fazendo”, disse Steele ao falar da iniciativa de homebrewers sem experiência que estão entrando no mercado com novas cervejarias. O cervejeiro John Harris, da Ecliptic Brewing e com passagens pela Deschutes e Full Sail, também compartilha da mesma preocupação: “Se você está tendo problemas com a sua cerveja, peça ajuda aos outros. Não seja tão orgulhoso”, propôe Harris.

Sarah Howat, da Former Future Brewing, inaugurada este ano, disse que a cervejaria, apesar de nova, se preocupa em testar e provar a sua cerveja antes de lançá-la nas prateleiras. Ela ficou desapontada com as críticas: “As pessoas podem ter a percepção de que, se você é novo, você não vai ser bom, o que é desanimador”, disse Howat. “Para quem nunca fabricou em grande escala, eu acho que nós estamos fazendo um trabalho melhor do que algumas cervejarias por aí”. Por outro lado, Xandy Bustamante, da Elevation Beer, considera que os comentários de Gatza são “um bom aviso para todos”. A cervejaria, segundo Bustamante, mesmo apesar de iniciante, tem investido em controle de qualidade e profissionais experientes para melhorar seu produto final. “Todo mundo quer ajudar uns aos outros a fazer uma grande cerveja. É necessária apenas uma cerveja ruim para afastar as pessoas da cerveja artesanal”, diz ele. O blogueiro e escritor Alan McLeod, do A Good Beer Blog, alerta para outro motivo nas entrelinhas das declarações de Gatza. De acordo com McLeod, as novas cervejarias estão entrando no mercado com preços mais competitivos que as microcervejarias mais antigas e conhecidas. Além disso, ele questiona uma possível reserva de mercado: “O que essas novas cervejarias estão fazendo de diferente do que as grandes microcervejarias fizeram há uma ou duas décadas atrás? Algumas são ruins, outras não”. Ele continua: “Será que algumas dessas sete ou oito cervejarias estão fazendo apenas uma boa cerveja confiável a um preço decente, sem usar barris de bourbon, ou gastando no marketing de um crossover como uma ‘Saison IPA’?”

E cada vez faz mais sentido a frase do amigo Alessandro Ren: “Show me the beer”. Pouco importa se a cerveja é produzida por uma cervejaria nova ou mais antiga. Se ela é boa e agrada o consumidor, é o que vale. O tempo de estrada ou o tamanho da cervejaria não é aval prévio da qualidade de uma cerveja. Por outro lado, também porque a cervejaria é nova e pequena que ela vai fazer sempre cervejas boas. Não adianta, tudo acaba mesmo é na boca do consumidor. É ele quem vai atestar a qualidade de uma cerveja. O resto – como em qualquer mercado – é apenas vaidade e interesse.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...Scridb filter